jornadas sobre olhao

Teve lugar no auditório da Junta de Freguesia de Olhão (Praça de Agadir), no passado dia 7 Junho de 2013, entre as 21h30m e as 0horas,  a última das jornadas sobre Olhão organizada pelo núcleo concelhio do Bloco de Esquerda.

Não fugindo à média de participação das iniciativas anteriores (estiveram presentes cerca de 30 pessoas), o clima informal e próximo do encontro permitiu mais uma vez a troca de ideias e de experiências e o conhecimento da realidade local com base no testemunho de actores que no quotidiano vão construindo os caminhos da inclusão e a verdadeira mudança.   

O tema “Educação, saúde e inclusão” foi abordado numa perspectiva macro-política e numa perspectiva das boas práticas locais, concluindo-se que, apesar dos esforços das instituições locais e da própria sociedade civil e do accionar de parcerias da rede social local, a questão da inclusão extravasa a conjuntura da crise e remete-nos para  problemas mais estruturais – os problemas de efectivação prática das políticas sociais globais que retiram protagonismo às populações e grupos alvo e negligenciam a necessária operacionalização técnica multidisciplinar no terreno; os problemas resultantes da falta de planeamento, ordenamento do território e de trabalho directo com as famílias e com as comunidades mais estritamente relacionados com a gestão autárquica local. Veja-se o retrato negro das estatísticas do concelho no plano regional (números do desemprego, das famílias a usufruir de rendimento social de inserção, sujeitas a cortes de água e luz ou que recorrem às instituições de solidariedade, como por exemplo o banco alimentar; reincidência do abandono escolar e da iliteracia/analfabetismo) e da observação atenta do quotidiano (toxicodependência e alcoolismo, prostituição, pequena criminalidade, pobreza explícita e camuflada – fome, má nutrição da população escolar, recurso aos lixos e à esmola, etc.) 

Finalizando os debates públicos sobre o concelho de Olhão, iniciados em Dezembro de 2012, realizar-se-á no dia 7 de Junho (sexta feira), pelas 21h15m, no auditório da respetiva junta de freguesia (Praça de Agadir), a terceira e última jornada que abordará o tema “Educação, Saúde e Inclusão Social”. Contamos com a presença da deputada Cecília Honório e de técnicas da área social local que têm participado  no desenvolvimento de projetos de inclusão, a nível institucional e de associativismo voluntário, nas áreas da educação (inclusão de alunos/famílias oriundas de territórios problemáticos da cidade – projetos T.E.I.P.), da saúde (projetos de inclusão no tratamento da toxicodependência) e da pobreza/precariedade (projetos de voluntariado).

Trata-se de um percurso pensado e organizado que, ao invés das outras candidaturas, colocou como questão central prévia o aprofundamento do conhecimento do meio e o enriquecimento das intervenções futuras com vista à elaboração de um programa realista e sustentado (pela abertura a ideias e sugestões vindas do “terreno” – boas práticas institucionais e da sociedade civil), e não a já gasta postura de imagem de marketing fundada na imediata apresentação “unipessoal” de candidatos e de linhas generalistas de intenções.

No bloco trabalha-se em equipa, com abertura às ideias válidas, com reflexão, análise e responsabilidade e construindo os projetos e os programas em conjunto. Não procuramos o eleitoralismo fácil nem o populismo como meios para atingir fins porque aqui todos somos necessários e importantes!

(continua... ver programação da estratégica autárquica 2013) 

Realizou-se no auditório da Junta de Freguesia de Olhão (Praça de Agadir), no passado dia 13 de Abril de 2012, entre as 16h30m e as 19horas,  a segunda das jornadas sobre Olhão organizada pelo núcleo concelhio do Bloco de Esquerda. Subordinado ao tema “Reabilitação Urbana, emprego e turismo”, o encontro permitiu o contacto com várias perspectivas e experiências relacionadas com a reabilitação urbana pela via da defesa do património e das identidades, do estímulo ao emprego, à qualidade de vida e à inclusão social ou da promoção turística sustentada na economia local. Destaque-se a actualidade e premência do tema a nível nacional (necessidade de combater as políticas de austeridade, fomentando o emprego e a inclusão social, o que pressupõe também uma crítica à nova legislação relacionada com a recuperação do edificado e com o arrendamento) e a nível local (necessidade de intervenção pública na recuperação de bairros históricos degradados e tendencialmente desertificados em termos de ocupação humana).  

No seguimento das jornadas sobre Olhão que o Bloco de Esquerda tem vindo a promover, realizar-se-á no dia 13 de Abril, pelas 16:00h,  o segundo debate, subordinado ao tema “Reabilitação Urbana, Emprego e Turismo”. Encontra-se confirmada a presença da deputada Helena Pinto e de personalidades locais que representam áreas institucionais e cívicas e que têm vindo a desenvolver projectos no âmbito dos temas em análise.

 

Realizou-se no auditório da Junta de Freguesia de Olhão (Praça de Agadir), no passado dia 21 de Dezembro de 2012, entre as 21horas e as 0horas,  a primeira das jornadas sobre Olhão organizada pelo núcleo concelhio do Bloco de Esquerda. Subordinado ao tema “Ria, Ambiente e Pescas”, o encontro permitiu reunir várias sensibilidades de abordagem às questões do ambiente e das actividades tradicionais relacionadas com a ria, destacando-se a pertinência da troca de informações e de sugestões e a vivacidade das intervenções dos cidadãos presentes. 

A Concelhia de Olhão do Bloco de Esquerda inicia um conjunto de debates para refletir sobre o Concelho e lançar as bases para a futura campanha às eleições autárquicas de 2013.

Opinião

Passados 46 anos desde a Revolução de Abril Portugal continua a ser um dos países mais centralistas da OCDE, do ponto de vista político e administrativo, com a consequente hipertrofia burocrática e orçamental.

Há dias, numa sessão do nunca tão elogiado como merece Cineclube de Faro, fui ver o filme “Parasitas” que agora ganhou vários Óscares de Hollywood.

Exponho aqui um comentário motivado apenas por ter lido em apreciações de alguns dos nossos habituais críticos de cinema que se trata de uma “original forma” de apresentar a “luta de classes”.