retratos de olhão

A VERDADEIRA INCLUSÃO SOCIAL EXIGE POLÍTICAS  DE DESENVOLVIMENTO LOCAL E A PARTICIPAÇÃO DA POPULAÇÃO. JÁ BASTA DE ASSISTENCIALISMO E DE ABANDONO!!!

REABILITAR O PATRIMÓNIO E OS MODOS DE VIDA TRADICIONAIS SIGNIFICA MAIS EMPREGO, INCLUSÃO E MELHOR ECONOMIA LOCAL. JÁ BASTA DE PASSIVIDADE E DE ABANDONO!!!

PROMOVER A PESCA TRADICIONAL E A SALINICULTURA SIGNIFICA MELHORAR A QUALIDADE DE VIDA.

PRESERVAR A RIA É UM LEGADO DECISIVO PARA O FUTURO DE OLHÃO .

NÃO HÁ LUGAR PARA A NEGLIGÊNCIA !

A gestão da água pela empresa municipal Ambiolhão, criada pela Câmara  Municipal de Olhão, tornou-se um negócio chorudo, em detrimento daquele que deveria ser o seu propósito essencial - a satisfação das necessidades básicas dos munícipes.

Saiba porquê...  

A ÁGUA É UM BEM ESSENCIAL E NÃO DEVE SER UM NEGÓCIO.

Opinião

Presentemente, em Olhão, faltam casas para venda ou arrendamento e as poucas que existem atingem preços elevadíssimosComo satisfazer a necessidade de habitação dos jovens e das famílias mais carenciadas? Para resolver este problema tem que haver investimento municipal e vontade política para utilizar os instrumentos e condições disponíveis. É então possível minorar a grave carência de habitações com que atualmente os  olhanenses se vêm confrontados 

O turismo náutico é um tipo de turismo cada vez mais em moda e com tendência à massificação (…). No caso do projeto para Olhão, em que o porto de recreio e a área de navegação se encontram em plena Ria Formosa, colocam-se todos os problemas ambientais e socio-económicos que daí advêm (…): põe em risco o equilíbrio ecológico da área protegida da ria; (…) põe risco recursos de pesca com papel importante na economia local e qualidade de vida das populações; (…) prejudica a relação visual com a ria e a preservação da imagem global de açoteias e mirantes que identifica a cidade cubista; (…) implica a deslocalização de atividades tradicionais, o que irá destruir modos de vida únicos e autênticos que fazem parte de uma apropriação popular das zonas ribeirinhas (…) (VER ARTIGO COMPLETO NO INTERIOR)