ccc olhão

Esta é a versão digital do número 1 do Jornal do Núcleo do Bloco de Esquerda de Olhão. Apresentam-se temas pertinentes ao município de Olhão como: Ria Formosa: Um ecossistema em risco!; BE quer baixar IMI, PS vota contra; Parque de campismo da Fuzeta em perigo.

Aproximando-se as eleições para a CC de Olhão do Bloco de Esquerda, publicamos a moção e os candidatos da única lista apresentada, destacando-se a mensagem central da proposta, que concilia estratégias internas e externas para reforçar o papel desta força política como alternativa na gestão pública do concelho: "A tarefa que propomos, é, sem dúvida, enorme, mas necessária para garantir um Núcleo do Bloco de Esquerda mais forte e atuante na defesa de um futuro sem sobressaltos e de uma melhor qualidade de vida para quem escolheu Olhão para trabalhar, viver ou até passar férias" (VER MOÇÃO E LISTA NO INTERIOR)

O que levará uma câmara cada vez mais endividada a insistir e até a promover a atribuição de subsídios? Como compreender a ausência de hierarquização, de prioridades e de critérios objectivos de mérito na atribuição de subsídios, num contexto em que existem redes sociais que deveriam ser conhecidas e trabalhadas em conjunto? Que interesse público existirá na “subsidiodependência” e na individualização da intervenção social? Porque se negligencia a avaliação dos projectos subsidiados, sendo esse factor um dos indicadores essenciais da viabilidade das instituições?

Só se apresentou uma lista candidata à Comissão Coordenadora Concelhia de Olhão cuja composição e programa podem ser consultados no documento anexo. A esta lista foi atribuído o nome de Lista A.

De acordo com os Estatutos do Bloco de Esquerda (BE) são convocadas eleições para a Comissão Coordenadora Concelhia de Olhão do Bloco de Esquerda.

"(...)
Porque eu sou do tamanho do que vejo
E não, do tamanho da minha altura..."

( Alberto Caeiro)

O resultado da eleição para a mesa da Assembleia Municipal de Olhão devia ser motivo para uma reflexão séria e profunda por parte da concelhia de Olhão do PS, sobre a forma como aquele partido tem conduzido a Câmara Municipal e a política neste concelho. 

Opinião

Só a construção de um programa mínimo comum para enfrentar a disputa geoestratégica das potências globais poderá trazer ao primeiro plano dessa disputa a acção própria e independente das esquerdas.

Mas, nos dias de hoje, chamar-lhes de centro, só se justifica se virmos a questão apenas pelo lado geométrico e linear.